sábado, 22 de janeiro de 2011

O destino é uma rajada forte (10ª parte)

Rejeitando todas as tentativas de conversa com a mãe e com o pai, João vai directo para o quarto e atirando para o chão a sua mochila, deixa-se cair na cama de barriga para baixo.
A mãe bate á porta.

Mãe: João que se passa? Vieste mais cedo, está tudo bem?
João: (sem se mover) esta tudo bem, mas deixa-me ficar sozinho por favor!

A sua mãe preparava-se para dizer algo, mas notou na voz trémula do filho que secalhar o melhor a fazer naquele momento era realmente fazer o que João lhe tinha pedido. Então sai do quarto e nesse mesmo instante o telemóvel de João toca.
E foi nesse momento que os seus olhos voltaram a brilhar de esperança, rapidamente todo atrapalhado tenta tirar o telemóvel do bolso, e é ai que todo o seu brilho desaparece, pois vê que quem lhe está a ligar é André, um grande amigo seu e não a pessoa que ele esperava.

João: Tou.
André: E quê? Tá tudo? Olha uma cena, logo quando chegares queres aparecer, tu e a Lara claro, lá a casa? A Leonor também vai estar e diz que tem saudades dela.
João: (naquele momento só quis atirar o telemóvel contra a parede, mas aguentou-se) Não vai dar, fica para uma próxima.
André: (nota na voz de João que algo não está bem) Já foste. Que se passa? E não digas que não é nada, porque já é muito ano.
João: Não estou bem, é só isso.
André: (admirado) Já estás em casa?
João: yap
André: (preocupado) ok, agora sei que não está tudo bem. Apareço já aí. Até já

João apenas fica ouvir o tututututu da chamada ter caído. Em breve André estaria ali, e isso de uma certa forma tranquilizava-o. Sabia que se havia alguma decisão para tomar, só ele a podia fazer, mas ter a opinião e apoio do André seria muito bom.

22 comentários:

  1. Querida, como estás te sentindo em relação à "ele"?
    Vistes o que te escrevi ?

    ResponderEliminar
  2. Obrigado querida *.*

    Ai que mal posso esperar para saber o que vai acontecer a seguir *)

    ResponderEliminar
  3. Muito simples querida.

    Adicionas uma aplicação de texto, escreves por exemplo 1ª parte e sublinhas. Em cima depois do titulo tem um simbolo que parece um globo, clicas ai e poes o link para a primeira parte da historia. E fazes isso com todos os outros.

    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Tens toda razão. Alguma dificuldade que passo, penso sempre neles para me ajudar. Isso devia ter doido ter perdido numa semana duas pessoas.

    *desde já adorei o post.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Entendo, amor.
    Mas tu estás apaixonada, e quando a gente fica assim, é normal essas coisas acontecerem, principalmente nesta tua situação :|

    Todas as coisas irão ficar normal, vais ver (:

    ResponderEliminar
  6. continua com a história nao pares
    esta simplesmente magnifica
    *ofereço meu selo

    ResponderEliminar
  7. De nada querida :)

    Eu acho que isso tem a ver com o tamanho da letra que tens designado para a barra lateral.. Vê no código HTML

    ResponderEliminar
  8. http://www.youtube.com/watch?v=BYkP1czfU0g :) o sorriso, a paz e o amor, te acompanhem onde voce esteja! seque as lagrimas que ja chorou e viva a felicidade eterna!

    ResponderEliminar
  9. De nada ;)
    Pois... eu quanto à minha avó paterna, passei quase dois anos a ve-la sofreu. como dizem: "ve-la a morrer aos bocadinhos." A morte dela eu ja estava a espera, a doença tambem nao ajudava, mas é sempre doloroso. Enquanto que a avó materna, foi de repente, e isso não ajudou muito, o mais grave foi a minha mae, ela ficou mesmo mal, porque esta ciente que ela ia ficar bem. Quanto ao meu tio, ele não estava cá, sinceramente não é meu tio verdadeiro, mas eu gostava muito dele, por isso é que falo nele, ele era um tipo espectacular.

    ResponderEliminar
  10. É uma ideia muito boa ir escrevendo uma historia assim.. Deves ter muitos leitores, e mereces-os!
    Muito bom, volto a dizê-lo!
    Beijo,
    Ser Oculto

    ResponderEliminar
  11. Obrigada querida e espero que tenhas a total razão:S
    E eu quero te feliz a ti tambem, mereces muito isso:D

    ResponderEliminar