segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O destino é uma rajada forte (2ª parte)


De tarde no intervalo.
Lara sorri enquanto olha para o céu e Silvia pergunta:

Sílvia: Deixa-me adivinhar? João.
Lara: Sim, João. Neste momento chega e basta.( diz com ar apaixonado)
Sílvia: Ai o amor, princesa já lhe contas-te?
Lara: (Lara assume uma pose mais séria) Não. Não consegui, no momento que lhe ia contar a campainha  tocou e já não deu.
Silvia: sabes que adiar um problema não o faz necessariamente desaparecer.
Lara: eu vou contar, tenho que contar, só não sei como. (suspira) A verdade é que agora todo o tempo que passo com ele me parece pouco e então não o quero desperdiçar a falar de algo que não seja “nós”. Amo-o tanto Si e tenho medo que esta seja a nossa ultima conversa, sei que é estúpido mas tenho medo que ele não compreenda.
Silvia: Não sejas tola. Esse parolo ama-te mais que a ele próprio. E trata-se do teu futuro, ele terá que compreender .
Lara: (já com as lágrimas nos olhos) abraças-me?
Silvia: (Sílvia abre-lhe os braços e deixa que ela encaixe a sua cabeça no seu ombro como se de duas metades se tratassem, no fundo são as duas melhores amigas.)

14 comentários:

  1. muito obrigada ♥
    (na barra da direita tem um link para seguires :*)

    ResponderEliminar
  2. Oh querida, que perfeito *)

    Quero mais ♥

    ResponderEliminar
  3. O nosso encontro voltou a falhar querida, não é fácil :|

    ResponderEliminar
  4. Olha querida, eu sou de pertinho de ti (Maia) ele é de Coimbra :s

    ResponderEliminar
  5. Oh que coisa mais fofa, minha linda. Ai, mas estou mesmo afim de saber o que tanto a Lara tem que contar para o João **

    ResponderEliminar
  6. Adorei, mesmo querido o texto *.*
    E as despedidas são do pior. :/

    ResponderEliminar
  7. Está mesmo lindo *.*
    Estou a adorar, continua :)

    ResponderEliminar